Pharmacist's work in primary health care for municipalities in southern Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.30968/rbfhss.2022.133.0795

Abstract

Objectives: The objective of this study is to analyze the work of pharmaceutical pharmacists working in primary health care in municipalities in the state of Rio Grande do Sul. Methods: The study included the 18 municipalities that host the Regional Health Coordination of the Health Secretariat of the State of Rio Grande do Sul and municipalities, with more than 100 thousand inhabitants, totaling 30 municipalities. Data collection was used an electronic questionnaire distributed from March to May 2021 through electronic means. Results: We obtained 77 respondents with a mean age of 39.9 years, prevalence of white color and women. Of all participants, 58 (86.6%) had a post-graduation in Lato Sensu. In professional practice, 33 (42.9%) were pharmacists in charge of the technical and 12 (15.5%) worked in more than one function in the municipality. Regarding the working day, an average working day of 35.3 hours per week was observed. Conclusion: Asymmetry in the distribution of the pharmacist’s workforce and work in more than one function stands out. This study can help the management of pharmaceutical care in the organization and ensure the quality of the services provided, and it is suggested studies that evaluate the intensity of work of pharmacists.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Brasil. Ministério da Saúde. Lei n 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, 1990.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde (CNS). Portaria nº 3.916, de 30 de outubro de 1998. Aprova a Política Nacional de Medicamentos. Brasília: Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, 1998.

Costa KS. et al. Assistência farmacêutica na atenção primária: a pactuação interfederativa no desenvolvimento das políticas farmacêuticas no Sistema Único de Saúde (SUS). Rev. Saúde Pública. 2017; 51(supl. 2):2s. DOI: 10.11606/S1518-8787.201705100.

Bermudez J. et al. Assistência Farmacêutica nos 30 anos do SUS na perspectiva da integralidade. Ciênc. saúde coletiva. 2018;23(6). DOI: 10.1590/1413-81232018236.09022018.

Lima-dellamora EC, Caetano R, Osorio-de-castro CGS. Dispensação de medicamentos do componente especializado em polos no Estado do Rio de Janeiro. Ciênc. saúde coletiva. 2012; 9(17). DOI: 10.1590/S1413-81232012000900019.

Luiza VL, Oliveira MA, Chaves GC, et al. Pharmaceutical Policy in Brazil. In: Babar, ZUD. (eds) Pharmaceutical Policy in Countries with Developing Healthcare Systems. New York: Springer Berlin Heidelberg. 2017. DOI: 10.1007/978-3-319-51673-8_7

Carvalho MN. O farmacêutico na composição da força de trabalho em saúde na atenção primária do SUS. Tese [Doutorado em Ciências Farmacêuticas] - Universidade de Brasília. Brasília, DF.2016. DOI: 10.26512/2016.05.T.22006.

Gasparini MFV, Furtado JP. Avaliação de Programas e Serviços Sociais no Brasil: uma análise das práticas no contexto atual. Serv. Soc. Soc. 2014; 122-141. DOI: 10.1590/S0101- 66282014000100008.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos em Saúde. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Diretrizes para estruturação de farmácias no âmbito do Sistema Único de Saúde, 2009. Available in: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/servicos_farmaceuticos_atencao_basica_saude.pdf. Accessed on: 22 Dez. 21.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde (CNS). Resolução nº 338, de 06 de maio de 2004. Aprova a Política Nacional de Assistência Farmacêutica. Brasília: Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, 2004.

Conselho Federal de Farmácia (CFF). Formação farmacêutica no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Farmácia. 2019; 160. Available in: https://www.cff.org.br/userfiles/livro_caef21maio2019.pdf. Accessed on: 22 Dez. 21.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Departamento de Saúde da Família. Gestão do Cuidado Farmacêutico na Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde. 2019. Available in:https://aps.saude.gov.br/biblioteca/visualizar/MTQ0Mg. Accessed on: 22 Dez. 21.

Destro DR, Vale S A, Brito MJM, et al. Desafios para o cuidado farmacêutico na Atenção Primária à Saúde. Physis. Ciênc. saúde coletiva. 2021; 31. DOI: 10.1590/S0103-73312021310323.

Doblinski PMF. A dispensação de medicamentos em unidades básicas de saúde do município de ToledoPR. Dissertação [Mestrado em Farmacologia] - Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. 2011. Avaiable in: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/94801 Accessed on: 26 Ago. 20.

Freitas IV. Prática da dispensação de medicamentos nas unidades saúde da família em um município baiano. Dissertação [Mestrado em Saúde Coletiva] - Universidade Estadual de Feira de Santana. Florianópolis, SC. 2014. Avaiable in: http://tede2.uefs.br:8080/handle/tede/138 Accessed on: 26 Ago. 20.

Simão RWTS, Batista AM. Armazenamento de medicamentosem unidades básicas de saúde de Macaíba, RN, Brasil. Infarma Cienc Farmac. 2016; 4046. DOI: 10.14450/2318-9312.

Soares L. O acesso ao serviço de dispensação e a medicamentos: modelo teórico e elementos empíricos. Tese [Doutorado em Farmácia] - Universidade Federal de Santa Catarina.Florianópolis, SC.2013. Available in:: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/107387/318106.pdf?sequence=1&isAllowed=y7. Accessed on: 26 Ago. 20.

Toreti IR. Descrição e avaliação das atividades de assistência farmacêutica do Programa de Medicamentos Excepcionais no Município de Içara – SC no período de 20042005. Dissertação [Mestrado em Farmácia] - Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. 2006. Available in:: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/88692 Accessed on: 26 Ago. 20.

Albino FD. As práticas profissionais dos farmacêuticos nos serviços de Atenção Básica do Sistema Único de Saúde de Campinas/SP. Dissertação [Mestrado em Saúde Coletiva] – Faculdade de Ciências Médicas/Unicamp. 2016; 122. In: Renovato RD. Processo de trabalho do farmacêutico na atenção primária: revisão crítica. Infarma Cienc Farmac. 2020; 13-22. DOI: 10.14450/2318-9312.

Souza LEP, Vieira-Da-Silva L, Hartz ZM. Conferência de consenso sobre a imagem-objetivo da descentralização da Atenção à Saúde no Brasil. In: Hartz ZM, Vieira-da-silva, LM. Avaliação em saúde: dos modelos teóricos à prática na avaliação dos programas e sistemas de saúde. Rio de Janeiro Salvador: EDUFBA Fiocruz. 2005; 65–102. DOI: 10.7476/9788575415160.

Carvalho MN, Álvares J, Sarmento KC, et al. Força de trabalho na assistência farmacêutica da Atenção Básica do SUS, Brasil. Rev. Saúde Pública. 2017. DOI: 10.11606/S1518-8787.2017051007110.

Conselho Nacional de Secretarias municipais de Saúde (CONASEMS). Protagonismo feminino na saúde: mulheres são a maioria nos serviços e na gestão do SUS. Brasília. 2020. Available in: https://www.conasems.org.br/o-protagonismo--feminino-na-saude-mulheres-sao-a-maioria-nos-servicos-e--na-gestao-do-sus/ Accessed on: 28 Out. 21.

Monteiro ER, Lacerda JT de, Natal S. Avaliação da gestão municipal na promoção do uso racional de medicamentos em municípios de médio e grande porte de Santa Catarina, Brasil. Cad. Saúde Pública. 2021. DOI: 10.1590/0102-311X00112920.

Serafin C, Correia Júnior D, Vargas M. Perfil do farmacêutico no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Farmácia. 2015; 44. Available in: https://www.cff.org.br/userfiles/file/Perfil%20do%20farmac%C3%AAutico%20no%20Brasil%20_web.pdf Accessed on: 28 Out. 21.

Vendruscolo C, Prado M, Le. Do Kleba ME. Integração ensino-serviço no âmbito do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde. Ciênc. saúde coletiva. 2016; 2949-2960. DOI: 10.1590/1413-81232015219.12742015.

Santos AM, Nóbrega IKS, Assis MMA, et al. Desafios à gestão do trabalho e educação permanente em saúde para a produção do cuidado na estratégia saúde da família. Rev. APS. 2015; 39-49. Available in: https://periodicos.ufjf.br/index.php/aps/article/view/15469/8134 Accessed on: 28 Out. 21.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria Nº 639, de 31 de março de 2020. Dispõe sobre a Ação Estratégica “O Brasil Conta Comigo – Profissionais da Saúde”, voltada à capacitação e ao cadastramento de profissionais da área de saúde, para o enfrentamento à pandemia do coronavírus (COVID-19). Brasília: Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, 2020.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 1.214, de 13 de junho de 2012. Institui o Programa Nacional de Qualificação da Assistência Farmacêutica no âmbito do Sistema Único de Saúde. Brasília: Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, 2012.

Davezies P. Intensification. Danger: le travail rétréci. Paris: Santé & Travail. 2007; 30-33. In: Pina JA, Stotz EN. Intensificação do trabalho e saúde do trabalhador: uma abordagem teórica. Rev. Bras. Saúde Ocup. 2014; 150-160. DOI: 10.1590/0303-7657000074913.

Pina JA, Stotz EN. Intensificação do trabalho e saúde do trabalhador: uma abordagem teórica. Rev. Bras. Saúde Ocup. 2014; 39(150-160). DOI: 10.1590/0303-7657000074913.

Lira PVR de A, Gurgel IGD, Amaral AS do. Superexploração da força de trabalho e saúde do trabalhador: o trabalho precário na confecção. Physis: Ciênc. saúde coletiva. 2020; 30. DOI: 10.1590/S0103-73312020300106.

Vieira JW, Pilger D, Bittencourt RA, et al. Characterization of dispensing processes in primary care pharmacies in Rio Grande do Sul. Rev Bras Farm Hosp Serv Saude. 2021;12(2):0603. DOI: 10.30968/rbfhss.2021.122.0603.

De Bernardi CLB, Bieberbach EW, Thomé HI. Avaliação da assistência farmacêutica básica nos municípios de abrangência da 17ª Coordenadoria Regional de Saúde do Rio Grande do Sul. Saúde Soc. 2006; 1(15). DOI: 10.1590/S0104-12902006000100008.

Published

2022-09-30

How to Cite

1.
OLIVEIRA PS, PILGER D, MARTINS VL, BUENO D. Pharmacist’s work in primary health care for municipalities in southern Brazil. Rev Bras Farm Hosp Serv Saude [Internet]. 2022Sep.30 [cited 2022Nov.30];13(3):795. Available from: https://rbfhss.org.br/sbrafh/article/view/795

Issue

Section

ARTICLES